11 de nov de 2013

Pela fé, o bom testemunho - Manassés Guerra

Um dia desses um amigo a quem muito admiro me relatou o seu aprendizado acerca da fé. Ele me disse: “Você sabe o quanto clara e objetivamente Hebreus 11.1 nos doutrina acerca da fé – a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”. “Porém”, disse ele, “fico ainda mais fascinado com o resultado que se pode esperar de uma pessoa que está vivendo pela fé: um bom testemunho”. E ele logo apontou o versículo 2 de Hebreus 11: “Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho”.
Tive que concordar com o meu amigo. Uma vida de fé deve ser marcada pelo bom testemunho. Iniciativas ambiciosas que intencionam “chamar a existência as coisas que não são”, mas que deixam a desejar no quesito bom testemunho, podem ser apenas guiadas pelos sentidos e não por uma direção espiritual que proceda do coração.
Viver pela fé não consiste meramente em dar substâncias ao que compulsivamente queremos, simplesmente em nome da satisfação de um desejo incontrolável. Eu posso acabar caindo em tentação quando insisto em desfrutar de um prazer lícito, mas na hora errada.
O pastor Kenneth Hagin Jr. declara em seu livro “Um outro olhar sobre a Fé”: “Muitos cristão… falharam em combinar a paciência e a perseverança com a sua fé, caindo à beira do caminho…”. De fato, o Reino de Deus não é um fornecedor de fast food em nome da fé. Precisamos aprender a conceber os resultados da fé como a materialização do que o coração vê e na sua mente você imagina como sendo a concretização do seu propósito.
A esperança que se encarna na certeza e os fatos que independem da visão dos sentidos, surge daquilo que o coração vê e do que a imaginação assume como sendo o desejo que emerge do mais profundo do ser. Não é apenas um desejo de que vem de fora para dentro, esmagando o compromisso consigo mesmo na conquista da sua própria missão.
Viver pela fé é caminhar a jornada que começa no mundo invisível e se materializa à medida que damos os passos de quem crê, em “terra firme”. E nessa caminhada, quem começou pelo fim foi Deus. Você começa pelo começo, ou seja, do ponto onde Ele terminou.
Por isso, o bom testemunho é imprescindível, pois é quando o mundo vê em nós a evidência do que significa uma vida movida por princípios invisíveis. É quando as pessoas passam a nos seguir, como se observassem diante delas um manual da verdadeira prosperidade – plena, essencial e que abrange o ser espírito, alma e corpo.