5 de fev de 2010

FRUTOS DO ESPÍRITO - Série Estudo Bíblicos -

- FRUTOS DO ESPÍRITO -




• A mudança da palavra "obras" para "fruto" é adequada porque remove radicalmente a idéia do esforço humano.

• A metáfora do fruto denota a idéia de crescimento espiritual, onde há vários aspectos de uma única colheita e cuja fonte é única e divina (Ef 5.9).

• O Fruto do Espírito é o produto normal de cada crente guiado pelo Espírito Santo.

• AMOR: Este amor difere de maneira infinita do amor carnal, da paixão carnal. O amor "ágape" segue o padrão de Cristo para com os homens, porque é o amor de Deus derramado em nossos espíritos.

• O amor carnal é temporário e variável. É um amor condicional.

• O amor "ágape" - O amor de Deus é permanente, invariável, eterno e incondicional.

Leia: 1 Co 13

Gl 2.20

Gl 5.6

• ALEGRIA / PAZ: Deus nos chamou para a paz, para a alegria e louvor da sua glória.

• Deus é o Deus de paz. Deus é o Deus de alegria.

Leia: 1 Co 7.15

Jo 14.27

1 Pe 1.8

Jo 16.33

Ne 8.10

1 Jo 1.4

• A Paz é uma possessão interna que traz consigo a serenidade mental e alegria de viver.

• LONGANIMIDADE: Traduz a idéia de perseverança e paciência. É uma qualidade de resistir firme às pressões e tensões da vida. Deus é longânimo.

Leia: Ex 34.6

2 Pe 3.9,15

• BENIGNIDADE: Palavras que traduzem ações para fazer o bem, inclinação natural de fazer o outro feliz. Qualidade de fazer o que é bom.

Leia: Sl 36.7

Jr 31.3

• FIDELIDADE: Tem o sentido de ser fiel aos padrões da verdade e no trato com as outras pessoas fiéis a Deus, a Sua Palavra, tendo como fundamento a fé em Deus. Deus é o Deus fiel.

Leia: Ap 19.11

Sl 100.5

• MANSIDÃO: Transmite o sentido de brandura, disposição de submeter-se à vontade de Deus. Quando a mansidão é manifesta, reina a harmonia e não a discórdia.

Leia: 2 Tm 2.25

Nm 12.3

Sl 37.11

• DOMÍNIO PRÓPRIO: Em geral, refere-se ao domínio sobre os desejos do Ego. Na vida dirigida pelo Espírito, o "Eu" deve manter-se em seu lugar adequado, ou seja, submisso ao Espírito. O crente não deve fazer a sua própria vontade, e sim a de Deus. O "Eu" desaparece, e o "Espírito" aparece.

Leia: Jo 6.38

1 Co 7.9