22 de nov de 2013

A PROSPERIDADE BÍBLICA - POR KENNETH E. HAGIN


Durante mais de sessenta e cinco anos de ministério, tenho sempre tratado sobre o
assunto da prosperidade para os crentes, enfatizando insistentemente uma abordagem
equilibrada e bíblica. Tenho observado muitos ensinamentos e práticas que tanto tem
ajudado como prejudicado o Corpo de Cristo. Tenho visto alguns homens de Deus fiéis, que
permanecem no caminho certo e avançam com a verdade da Palavra e o Espírito, resultando
em grande bênção para uma multidão de crentes. Infelizmente, também tenho visto muitos
outros se desviarem por meio do extremismo, acabando e
m naufrágio de seus ministérios e
ferindo e desiludindo muitas pessoas ao longo do processo.

Em minha experiência tenho descoberto que com praticamente todo assunto bíblico, há
uma estrada principal de verdade com uma vala de erro em ambos os lados da estrada. A
Igreja não tem sido boa motorista, sempre tendo dificuldade de permanecer no meio da
estrada. Em qualquer assunto da Bíblia, você vai encontrar pessoas na vala de um dos lados
da estrada.

Através da História da Igreja, tem havido aplicações extremistas de quase toda verdade
ou doutrina básica, inclusive assuntos tais como batismo, ressurreição, a trindade, os dons
do ministério, cura divina, e o viver pela fé. A questão do dinheiro e da prosperidade não é
exceção. Existem aqueles que estão em um dos lados da estrada que ensinam que Jesus
viveu em miséria absurda, que o dinheiro é uma coisa ruim, e que a prosperidade bíblica
não tem nada a ver com coisas materiais. E do outro lado da estrada, estão aqueles que
pregam que ficar rico é o principal objetivo da fé, que a principal preocupação de Deus é o
seu bem-estar material, e que o dinheiro é a verdadeira medida de espiritualidade. Onde está
a verdade? É encontrada bem longe destes dois extremos, em base muito mais sólida.

Neste tempo de riquezas e abundância, há uma preocupação crescente entre líderes
cristãos responsáveis quanto ao aumento assustador de confusão, erro, e extremismo com
respeito a mensagem da prosperidade. Sinto-me compelido a falar a igreja de uma forma
geral sobre estes assuntos e especialmente sobre finanças e ofertas. Este livro é um esforço
empreendido no sentido de trazer clareza e compreensão àqueles que honestamente
procuram encontrar o caminho da verdade concernente a prosperidade bíblica.

Acredito que existem muitas pessoas -- cristãos e não-cristãos também -- que, como o
rei Midas da estória, descobriu que não há alegria duradoura nas coisas que o dinheiro pode
comprar e que a prosperidade sem um propósito eterno conduz a decepção e ao
descontentamento.

Kenneth E. Hagin