16 de set de 2010

Mensagens Que Edificam - CHAMADOS PARA A COMUNHÃO

CHAMADOS PARA A COMUNHÃO

"E todos os que criam estavam juntos,

e tinham tudo em comum".

Atos 2.44.

A vida cristã é muito mais do que ter um local de reunião, ter um nome, e até uma forma correta de se reunir. Todo verdadeiro cristão, que nasceu do Espírito, foi batizado pelo mesmo Espírito para conhecer uma unidade a qual foi realizada por Jesus naquela cruz: "E Caifás, um deles que era sumo sacerdote naquele ano, lhes disse: Vós nada sabeis, nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo, e que não pereça toda a nação. Ora ele não disse isto de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos" João 11.49-52.

Esta unidade realizada por Jesus, é a manifestação da Glória do Pai a nós: "Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim" João 17.21-23. Para gozarmos desta perfeita unidade, esta glória que nos foi dada, primeiramente Deus nos predestinou, depois chamou, justificou e por último glorificou: "E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou" Romanos 8.30.

O modelo que vários cristãos têm experimentado é o do mundo. Uma irmã me disse que foi inquirida por alguém querendo saber de que igreja era. Ela disse que se reunia nas casas. Então lhe disseram que ela estava errada, que tinha que ter um lugar para ter comunhão. Então lhe perguntei: - Você já freqüentou uma igreja denominacional? Ela me respondeu que sim. Então lhe perguntei: - O que aconteceu quando você chegou ao templo. Ela me disse que foi introduzida por uma pessoa, sentou, participou dos cânticos, ouviu a pregação e foi embora. Eu lhe perguntei: Ouve comunhão sua com as outras pessoas? Ela disse que não. Não pode haver comunhão num lugar que divide o clero do restante do povo.

Deus não nos chamou para estarmos presos a uma tradição humana, nem aos rudimentos deste mundo: "Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo" Colossenses 2.8. Ele nos libertou e nos chamou para a comunhão de Seu Filho Jesus Cristo: "Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor" I Coríntios 1.9.

O texto não diz que Deus nos chamou para a comunhão com o Seu Filho, mas para a comunhão de Seu Filho Jesus Cristo. Qual é a comunhão de Seu Filho? É a comunhão do seu corpo, da Sua Igreja: "Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão" I Coríntios 10.16-17.

Somos chamados por Deus para esta comunhão, mas os cristãos, por causa desse chamamento, são taxados de causadores de confusões e divisões: "Dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens" Atos 5.28-29. O anseio de todo filho de Deus por esta comunhão é porque ele foi chamado por Deus para ela, e não estará satisfeito enquanto não a gozar. Os filhos de Deus não promovem divisões, mas a comunhão. A divisão é causada por aqueles que não tem o Espírito: "Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito" Judas 1.19.

A vida cristã e a comunhão dos santos, é muito mais que uma forma de reunião. A igreja primitiva é o testemunho precioso desse viver. Os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum. Era isto que fazia eles caírem na graça de todo o povo: "E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar" Atos 2.44-47.

A igreja do Senhor é feita de pedras vivas: "Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" I Pedro 2.5, e o testemunho de uma verdadeira comunhão entre os cristãos são suas obras de fé, trabalhos de amor, e firmeza da esperança: "Lembrando-nos sem cessar da obra da vossa fé, do trabalho do amor, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai... De maneira que fostes exemplo para todos os fiéis na Macedônia e Acaia" I Tessalonicenses 1.3 e 7.

Tomar a ceia do Senhor sem discernir o Corpo do Senhor, que é a Sua Igreja viva, coluna e esteia da verdade (I Timóteo 3.15), tem trazido para os filhos de Deus fraquezas, enfermidades e até morte: "Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem" I Coríntios 11.29-30.

Só gozando dessa comunhão e andando em amor é que verdadeiramente seremos conhecidos como seus discípulos: "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros" João 13.34-35. Do contrário não passaremos de um grupo ou de uma denominação. O Senhor conhece os que são seus, e em todos nós Ele pôs o seu selo, o seu fundamento: Cristo. Agora cada um veja como edifica sobre Ele, porque cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.



"À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados

em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com

todos os que em todo o lugar invocam o nome de

nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso".

I Coríntios 1.2 *CMTHG.

A Igreja é de Deus e não dos homens como nos ensina a Sua Palavra. A palavra "igreja" são todos aqueles que Deus separou para si. São os que Ele tirou para fora do aprisco, do lugar onde as ovelhas estavam presas para ser o rebanho do seu pastoreio: "Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora. E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor" João 10.2-3 e 16.

A Igreja é feita de pedras vivas, portanto, quando o irmão Paulo se referia à Igreja de Deus, o único nome que tomava era da cidade ou da região em que moravam: "Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus... E todos os irmãos que estão comigo, às igrejas da Galácia" Efésios 1.1 e Gálatas 1.2. A Igreja de Deus são todos os santificados em Cristo Jesus, em todos os lugares, seja na terra ou nos céus: "Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; à universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados" Hebreus 12.22-23.

Esta Igreja são todos aqueles que em todos os lugares o invocam. Ela é chamada por Deus de Universal Assembléia, e esta Igreja só podemos vê-la pela fé. Pela fé podemos ter comunhão com nosso pai Abraão, com Moisés, Davi, e todos aqueles que foram santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita de uma vez para sempre (Hebreus 10.10). Podemos ter comunhão no Espírito, porque ambos temos acesso a Deus em um mesmo Espírito (Efésios 2.18). O mesmo Espírito promove a comunhão com os irmãos que estão na terra e com os que estão nos céus: "Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num" I João 5.7-8.

Ainda que não estejamos presentes no corpo, no espírito temos comunhão com todos os santos em todos os lugares; até com aqueles que não estão mais entre nós: "Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito estou convosco, regozijando-me e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo" Colossenses 2.5. Esta é a Universal Assembléia de Deus, e é necessário termos revelação dela, para que possamos vê-la pela fé.

Agora, existe a Sua Igreja nesta cidade de Londrina. Todos aqueles que nasceram do Espírito, Jesus reconhece como membro do seu corpo ainda que esteja espalhado em vários lugares e denominações, mas só que os consideram criancinhas em Cristo: "E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis, porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens? Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais?" I Coríntios 3.1-4.

Por que o irmão Paulo usa a expressão: "aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos"? Se somos santificados por Cristo Jesus, porque estamos sendo chamados para ser santos? Como vimos anteriormente, os santificados em Cristo são todos aqueles que creram que morreram e ressuscitaram juntamente com Cristo, e que agora é Cristo quem vive (Gálatas 2.20). Este é um eleito de Deus antes da fundação do mundo para ser santo (Efésios 1.4), e que agora foi chamado pelo evangelho, santificado pelo Espírito e vive pela fé na verdade, independente do lugar onde esteja: "Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do SENHOR, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade; para o que pelo nosso evangelho vos chamou, para alcançardes a glória de nosso SENHOR Jesus Cristo" II Tessalonicenses 2.12-13.

Este eleito e santificado pelo Espírito, agora é chamado para ser santo, para separar-se de toda associação indevida; dentre elas as facções religiosas: "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso. Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus" II Coríntios 6.14-18 e 7.1.

O santificado pelo Espírito, é chamado por Deus para apartar-se de toda coisa imunda: "Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais" I Coríntios 5.9-11; é para separar o vil do precioso (Jeremias 15.19), o santo do profano, e o imundo do limpo (Levítico 10.10).

Não é tentar santificar o lugar onde se reúnem; tentar tornar essa grande casa uma coisa santa ao Senhor, mas se santificar, apartar-se, purificar-se dessas coisas: "Todavia o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade. Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra" II Timóteo 2.19-21.

Não adianta querer santificar aquilo que é sujo. Aquele que foi santificado pelo Senhor, será santificado ainda pela Sua Palavra (João 17.17). O que é santo, aparte-se, seja santificado ainda, mas o que é sujo, se tornará mais sujo ainda: "Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda" Apocalipse 22.11. Somos chamados para sermos santos; quem rejeita isto não rejeita o homem, mas o próprio Deus: "Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo" I Tessalonicenses 4.7-8.

"Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em

toda a palavra e em todo o conhecimento".

I Coríntios 1.5.

Todo filho de Deus é rico. Éramos pobres, mas Jesus nos fez ricos no Seu Reino: "Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis" Tiago 2.5 e II Coríntios 8.9. Toda a riqueza do filho de Deus é Cristo, o tesouro que está em nós: "Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós" II Coríntios 4.7. Em Cristo que é a nossa vida, estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento: "... para conhecimento do mistério de Deus e Pai, e de Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência" Colossenses 2.2-3.

Todo filho de Deus, que nasceu do Espírito, tem a mente de Cristo e discerne bem tudo: "Porque, quem conheceu a mente do SENHOR, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo" I Coríntios 2.16. Discerne tudo pelo Espírito e não tem necessidade de que alguém o faça por ele: "Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido" I Coríntios 2.15. Esta é a unção da parte do santo: "E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo" I João 2.20. Esta unção fica em nós e nos ensina todas as coisas: "E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis" I João 2.27.

Não há nada que nos falte. Tudo nosso Pai já nos deu em Cristo: "Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude" II Pedro 1.3. Em Cristo que é a nossa vida, Deus congregou todas as coisas, tanto as que estão nos céus, como as que estão na terra: "Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra" Efésios 1.9-10.

Se todos os seus filhos sabem disto, por que ainda muitos continuam dependendo de homens, instituições e etc..? Não dependemos, nós é que nos dobramos por causa de um respeito humano ou por interesses. Sempre que estivermos nesta condição, o Espírito cuidará de nos ensinar: "Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens" Gálatas 5.1 e I Coríntios 7.23. Cuidado! Toda dominação humana tem um interesse escuso: "Eles têm zelo por vós, não como convém; mas querem excluir-vos, para que vós tenhais zelo por eles" Gálatas 4.17.

Qual o propósito de Deus nos enriquecer tanto em Cristo? Primeiramente para que não tenhamos falta alguma. Depois, toda riqueza no Reino de Deus é para ser repartida, é para ser ministrada: "Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos" I Timóteo 4.14-15. A riqueza da Palavra e do conhecimento que está em todo filho de Deus pela Pessoa de Cristo, não é para glória pessoal, nem para ser instrumento de negócio, mas para ser ministrada em favor da sua Igreja; é para a edificação do Corpo de Cristo: "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" Efésios 4.11-13 .

Para que isto aconteça, todo o corpo tem que estar bem ajustado. É a justa operação de cada parte, de cada membro, que efetua o crescimento da Igreja, do Seu Corpo: "Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor" Efésios 4.15-16. Nenhum filho de Deus, membro do corpo de Cristo, deve deixar-se dominar por outros. A única necessidade é reter o Cabeça: Cristo. "Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão, e não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus" Colossenses 2.18-19.

Para isto é necessária a comunhão dos membros do Corpo de Cristo. Enquanto desprezarmos a Sua Voz, o ensino do Espírito, e ouvirmos ou nos sujeitarmos a homens e às suas instituições, andaremos como meninos inconstantes: "Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente" Efésios 4.14; ainda se alimentando de leite: "Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal." Hebreus 5.13-14.

"De maneira que nenhum dom vos falta...".

I Coríntios 1.7.

Vimos anteriormente que a Igreja de Deus são todos aqueles que foram santificados pelo sacrifício de Jesus Cristo naquela cruz, e que agora pela fé nesse sacrifício são regenerados pelo Espírito Santo: "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo" Tito 3.5. Santificados, regenerados e chamados para sermos um povo de propriedade exclusiva de Deus: "Vos, porém, sóis raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" I Pedro 2.9 *VRA. Um povo santo e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra.

O Senhor também nos mostrou que uma vez regenerados, fomos em tudo enriquecidos nEle. Somos feitura dEle, criados em Cristo Jesus para as boas obras (Efésios 2.10). Agora o Senhor nos ensina que: "Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só SENHOR, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós. Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo. Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens" Efésios 4.4-8.

Depois de sermos regenerados pelo Espírito, somos batizados com o Espírito Santo da promessa. Este batismo no Espírito não é algo que devemos buscar ou receber depois da nossa regeneração. Não é algo aparte do nascimento do Espírito. Este batismo nada mais é do que o Espírito nos colocando como um membro do Corpo de Cristo e nos dando um dom: "Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos" I Coríntios 12.12-14.

Esses dons são distribuídos pelo Espírito a cada membro do Corpo de Cristo, e isto como lhe apraz: "Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer" I Coríntios 12.11, e tem como propósito o proveito para toda a Igreja de Deus: "Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil" I Coríntios 12.7. Imagine se esta divisão de dons não fosse feita pelo Espírito, teríamos um corpo totalmente deformado: "Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato? Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis" I Coríntios 12.17-18. A função de cada membro não é escolha nossa, mas de um Deus Soberano que opera tudo em todos.

É necessário compreendermos também que o Espírito não nos foi dado por medida. Não temos uma parte do Espírito, mas a sua plenitude: "E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça por graça. Porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; pois não lhe dá Deus o Espírito por medida" João 1.16 e 3.34. O que nos foi dado por medida são os dons e a fé: "Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros" Romanos 12.3-5.

O Senhor fez assim para que não nos ensoberbecemos e pensemos que a vida cristã pode ser edificada individualmente, fora do Corpo de Cristo: "Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular" I Coríntios 12.25-27. Também para aprendermos que todos os membros são importantes, até mesmo os mais fracos: "Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários; e os que reputamos serem menos honrosos no corpo, a esses honramos muito mais; e aos que em nós são menos decorosos damos muito mais honra. Porque os que em nós são mais nobres não têm necessidade disso, mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela" I Coríntios 12.22-24.

Todos os membros são importantes para a edificação do Corpo de Cristo, bem como todos os dons que esses membros possuem da parte do Espírito, por isso, nem Jesus que é a cabeça diz que não precisa deles: "Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo. E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós" I Coríntios 12.20-21. Ainda que tivéssemos conhecido Cristo segundo a carne, não é desse modo que o conhecemos hoje: "Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo" II Coríntios 5.15. Hoje o conhecemos pelo seu Corpo, pela Sua Igreja, a qual Ele faz parte como a cabeça: "E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência" Colossenses 1.18.

Mas se é assim, por que não vemos esse Corpo? Como vimos anteriormente, cada membro desse Corpo esta espalhado pelas várias denominações edificando em fundamentos alheios, ou andando só. O Senhor nos ensina que nesta cidade, nenhum dom nos falta. Não falta a palavra da sabedoria, a palavra da ciência, a fé, os dons de curar, as operações de milagres, as profecias, os dons de discernir espíritos, línguas e interpretações. Não falta nenhum dom; o que falta é a comunhão do Corpo de Cristo: "Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão" I Coríntios 10.16-17.

"O qual vos confirmará também até ao fim, para serdes

irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo".

I Coríntios 1.8.

A vida cristã começa com um nascimento, depois com um crescimento até chegarmos à maturidade. Jesus compara esta vida com o plantio de uma semente: "E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga. E, quando já o fruto se mostra, mete-se-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa" Marcos 4.26-29.

Em muitas vezes Jesus usa a figura do plantio para comparar com a vida cristã. O apóstolo Paulo também nesta mesma carta aos Coríntios, capítulo 3, nos versos 6 e 7, escreve: "Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento". Somos como uma plantação do Senhor para que Ele seja glorificado: "A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado" Isaías 61.3.

O Senhor nos deu a graça de participarmos do plantio e da rega, mas não nos deu a capacidade de fazer nascer nem de fazer crescer; ambas são obras exclusivas de Deus: "Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas. Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas" Eclesiastes 11.5-6. "O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito" João 3.6-8.

Para que a semeadura seja efetiva, é necessário que se use a genuína semente. A boa terra também tem que estar preparada por Deus: "O que semeia, semeia a palavra;... E os que recebem a semente em boa terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto, um a trinta, outro a sessenta, outro a cem, por um" Marcos 4.14 e 20. Cristo é a divina semente (I João 3.9), e Cristo crucificado é a semente da Palavra de Deus onde é revelada de fé em fé a Sua sabedoria e a Sua justiça: "E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado" I Coríntios 2.1-2.

A Palavra de Deus tem a semente para ser plantada, o leite para os recém-nascidos, e também o pão para o alimento, fortalecimento e crescimento: "Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei" Isaías 55.10-11. "Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo" I Pedro 2.1.

Se plantarmos e não regarmos, não haverá crescimento. Se dermos alimento sólido aos recém-nascidos, isto lhes causará problemas sérios: "Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis" I Coríntios 3.2, mas se mantivermos com leite aqueles que estão crescendo, a atrofia cristã se tornará em grande prejuízo: "Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento" Hebreus 5.12.

A falta de discernimento sobre este processo de Deus, tem se tornado um grande prejuízo para o seu povo. O grande problema é que querem fazer isto por força do braço e não no Espírito. Alguns que semearam e viram brotar, querem também regar. Outros querem regar onde não foi semeada a boa semente. O problema é que tomam como sendo sua lavoura e não a de Deus: "Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus" I Coríntios 3.8-9.

A lavoura não é nossa, mas de Deus. Somos sim cooperadores de Deus no plantio e no cuidado com a sua lavoura. Por causa do trabalho de cada um, um dia também participaremos da alegria da ceifa: "E o que ceifa recebe galardão, e ajunta fruto para a vida eterna; para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem" João 4.36. Todo aquele que coloca um nome nesta lavoura, está confirmando que a propriedade é sua.

Por falta de visão que a lavoura e o edifício são de Deus, os que plantaram e viram nascer cuidam para que outros não toquem em sua lavoura. Criam um vínculo afetivo com o seu plantio e não deixam que outros reguem para que cresçam; mas Aquele que em nós começou a fazer a boa obra, a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus (Filipenses 1.6). Se ainda não entendemos isto, Ele nos fará compreender que não somos de Paulo, ou de Cefas ou de Apolo, mas de Deus. Ele é o arquiteto e edificador dessa obra.

Uma vez que nascemos de semente incorruptível, agora é necessário crescermos para a salvação: "Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus" Hebreus 6.1. Só Ele é fiel para nos chamar e também para fazer: "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará" I Tessalonicenses 5.23-24.

Esta é uma obra santa que não cabe a nós atrapalhá-la, mas sim sermos instrumentos de cooperação. Portanto, ninguém se glorie nos homens: "... porque tudo é vosso; seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo é vosso, e vós de Cristo, e Cristo de Deus." I Coríntios 321-23. Ou edificamos com Ele, ou estaremos contra Ele espalhando como maus obreiros: "Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha" Mateus 12.30.

"Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a

comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor".

I Coríntios 1.9.

Fomos santificados pela oferta de Jesus Cristo feita uma vez para sempre, agora somos chamados para sermos santos. Um povo separado, tirados para fora do aprisco para serem conduzidos pelo único Pastor. Batizados pelo Espírito e unidos ao Corpo de Cristo; um povo chamado para a comunhão de Seu Filho Jesus Cristo: "Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão" I Coríntios 10.

Lembrando o que já dissemos anteriormente, aqui neste texto, não diz: "chamados para a comunhão com o Seu Filho", mas sim: "chamados para a comunhão de Seu Filho". A nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo, mas somos chamados por Deus para a comunhão de Seu Filho, a comunhão do Seu Corpo: "O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo. Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra" I João 1.3-4; unidos em amor, para o gozo completo do Pai: "Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo. O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei" João 15.11-12.

Esta comunhão de Seu Filho Jesus Cristo nada mais é do que o conhecimento da Glória de Deus que por Jesus nos foi dada: "E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo. Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste a mim. E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja" João 17.22-26.

Este chamado para a comunhão é a vocação de Deus em Cristo. Comunhão é viver em comum; um com o Pai, um com o Seu Filho e com os irmãos na unidade do Espírito: "Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só SENHOR, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós" Efésios 4.1-6.

Todo filho de Deus tem desejo por esta comunhão porque é vocacionado para ela, mas muitas vezes é impedido de conhecê-la por falta da visão da Igreja de Cristo ou de estar sujeito a um sistema religioso. O que encontramos nessas organizações é um sistema de dominação e doutrinamento, não de comunhão: "Tenho escrito à igreja; mas Diótrefes, que procura ter entre eles o primado, não nos recebe. Por isso, se eu for, trarei à memória as obras que ele faz, proferindo contra nós palavras maliciosas; e, não contente com isto, não recebe os irmãos, e impede os que querem recebê-los, e os lança fora da igreja. Amado, não sigas o mal, mas o bem. Quem faz o bem é de Deus; mas quem faz o mal não tem visto a Deus" II João 1.9-11.

O sistema religioso que conhecemos é chamado na bíblia de doutrina dos nicolaítas: "Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio... Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio" Apocalipse 2.6 e 15. A doutrina dos nicolaítas ensinava que a igreja é formada de dois grupos de pessoas: os nikaos que são os espirituais, os líderes e superiores, e o laos, o laico, o restante do povo que está em condições inferiores.

Esta conduta de elevar alguns para estar acima dos cristãos comuns é um ensino que Jesus odeia e deve ser por nós repugnada. Ela é contra a comunhão; não é assim que Jesus tem edificado a Sua Igreja: "Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários; e os que reputamos serem menos honrosos no corpo, a esses honramos muito mais; e aos que em nós são menos decorosos damos muito mais honra. Porque os que em nós são mais nobres não têm necessidade disso, mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela; para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros" I Coríntios 12.22-25.

Como vimos anteriormente, o Pai já nos proveu nEle de toda a sabedoria e conhecimento, como também de todos os dons com o propósito de andarmos em comunhão. O sistema religioso promove em muito o doutrinamento, mas em nada o testemunho de vida. Vida cristã não é conhecimento de doutrina, mas da piedade: "Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas" I Timóteo 6.3-4.

Já a comunhão tem como propósito o crescimento de cada membro para a unidade do Seu Corpo: "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" Efésios 4.11-13.

A organização humana pode ser usada por Deus para anunciar o evangelho, porque não há nada nela que crie um impedimento para isto, mas jamais poderá ser usada para a edificação do Corpo de Cristo: "Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões. Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda" Filipenses 1.16-18. Para que haja edificação do Corpo de Cristo é necessária a justa operação de cada parte, de cada membro, mesmo dos que são mais fracos.

Podemos receber o evangelho em qualquer lugar. O campo é o mundo como disse Jesus: "E ele, respondendo, disse-lhes: O que semeia a boa semente, é o Filho do homem; o campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno" Mateus 13.37-38, mas somos chamados agora por Deus, onde estivermos no mundo, para a comunhão de Seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor. Somos chamados a gozar da unidade do Seu Corpo, do testemunho da Glória de Deus para o mundo: "Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste" João 17.21.

A organização humana é um testemunho de divisão entre o povo cristão. Em nenhuma outra profissão religiosa há tanta divisão como entre os chamados cristãos; portanto, ela jamais poderá ser identificada como o seu testemunho, mas como a sua vergonha. O Senhor não as considera a sua futura esposa, mas uma prostituta: "E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas; com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição" Apocalipse 17.1-2.

"Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo,

que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões;

antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer".

I Coríntios 1.10.

Jesus naquela cruz nos fez um com Ele. Fomos congregados no seu corpo para a comunhão dos filhos de Deus com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo; uma comunhão no Espírito Santo. Uma vez regenerados e incluídos pelo Espírito no Corpo de Cristo, somos chamados para a comunhão: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum... E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração" Atos 2.42-46.

Estávamos separados desse Corpo, cada um se desviava pelo seu caminho, mas agora em Cristo, somos membros uns dos outros. Para que cada membro seja efetivo no Corpo, é necessário que o Senhor nos aperfeiçoe em toda boa obra: "Ora, o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas, vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém" Hebreus 13.20-21.

Todo aquele que nasceu do Espírito não é mais um indivíduo, mas individualmente membros de um mesmo Corpo. Por isso, é necessário pensarmos sobriamente que necessitamos de todo o Corpo: "Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros" Romanos 12.3-5.

O sacrifício de Cristo foi para remissão de pecados. Agora Deus nos chama a um outro sacrifício: um sacrifício voluntário. "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus" Romanos 12.1-2.

Este holocausto é uma entrega inteira a Deus, para vivermos somente em favor do Seu Corpo: "De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria" Romanos 12.6-8.

Todo filho de Deus é individualmente um membro do Corpo de Cristo, com diferentes dons, diferentes ministérios e operações, mas com um mesmo Espírito: "Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos" I Coríntios 12.4-6. Os dons não são nossos, mas do Espírito. Os ministérios também não são nossos, mas do Senhor Jesus; muito menos as operações são nossas, elas são todas de Deus. A Igreja única e verdadeira é a Igreja de Jesus Cristo.

Há vários dons, ministérios e operações, mas Ele é o que opera tudo em todos, em favor de uma unidade, a unidade do Corpo de Cristo: "Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos. Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos" Colossenses 3.11-15.

Se há algum dom é em favor do Corpo. Algum ministério, também é em favor do Corpo, assim também as operações desses dons e ministérios. Todo o nosso esforço e dedicação em favor de qualquer coisa que não seja o Seu Corpo não terão a comunhão do Pai, do Filho e muito menos do Espírito. É uma obra morta: "Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?" Hebreus 9.14.

É um vale de ossos secos que se transformou numa multidão sem o Espírito: "Então profetizei como se me deu ordem. E houve um ruído, enquanto eu profetizava; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, cada osso ao seu osso. E olhei, e eis que vieram nervos sobre eles, e cresceu a carne, e estendeu-se a pele sobre eles por cima; mas não havia neles espírito" Ezequiel 37.7-8.

Quando somos batizados no corpo, já temos o dom e as operações definidos pelo Espírito em favor do Corpo, mas ainda não temos uma maturidade e nem uma unidade de fé. Para isto é necessário que sejamos edificados: "Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" I Pedro 2.5. É necessário sermos aperfeiçoados pelo Senhor até chegarmos a esta unidade: "Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" Efésios 4.12-13.

Enquanto esta unidade de fé ainda não é realidade entre nós, precisamos guardar com toda a humildade a unidade de Espírito no vínculo da paz: "Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz" Efésios 4.1-3.

Ainda que não haja uma unidade de fé, e uma maturidade em todo o Corpo, podemos estar unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer. Para isto é necessário que todos tenham a revelação do projeto de Deus, do propósito eterno de Deus em Cristo. Caso isto não seja claro a nós, nos esforçaremos, ou por outro lado, nos acomodaremos por edificar uma obra pessoal com outro e não nos sujeitaremos a Cristo: "Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças. Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo" Colossenses 2.6-8.

Todo aquele que edifica sobre um fundamento alheio, verá um dia toda a sua obra ruir (Mateus 7.27). Se também edificarmos fora do Corpo, ainda que Cristo seja a nossa vida, poderá até ser reconhecida pelos homens, mas para com Deus será vã, e se tornará em grande prejuízo para nós: "E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo" I Coríntios 3.12-15.

Temos conhecido de maneira preciosa a Graça do Senhor Jesus e o amor do Pai, agora é necessário conhecermos também a comunhão do Espírito Santo: "A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém" II Coríntios 13.13.


"Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo,

e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo. Está Cristo dividido?".

I Coríntios 1.13-14.

Qual membro do corpo você acha mais importante? O coração? Os olhos? Talvez você diga: A cabeça, o cérebro. Quem faz esta divisão somos nós, e isto por causa da falta de visão que temos do Corpo. A Palavra de Deus nos ensina que num corpo os membros são muitos, uns fracos, outros mais fortes, mas todos são importantes e formam um só Corpo: "Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também... Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos" I Coríntios 12.12 e 14.

Quando digo que sou de tal denominação, isto mostra que em meu coração existe um sectarismo. Todo sectário se torna intolerante. Sempre diz: "Eu sou de Paulo". Ainda há outros que podem dizer: - Eu não sou de ninguém, sou de Cristo; neste caso, também a mesma intolerância é observada. Insistimos, caso este seja o parecer de um filho de Deus, não passa de criancice, carnalidade e falta de conhecimento de Cristo: "E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis, porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens? Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais?" I Coríntios 3.1-4.

Vivemos grandes partes da nossa vida em egoísmo, pensando individualmente, na vaidade da nossa mente, sem entendimento algum das coisas de Deus: "E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração" Efésios 4.17-18. Esse pecado de querer ser Deus o homem traz desde o Éden. O pecado é o individualismo, é o desprezo a Deus, a destituição da Sua comunhão, da Glória de Deus: "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" Romanos 3.23.

Vivíamos em densas trevas; separados da vida de Deus. Certo dia, Deus por Sua misericórdia disse a nós: Haja luz e ouve luz: "Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo" II Coríntios 4.6. Cristo resplandeceu em nossos corações para o conhecimento da Glória de Deus. Onde existe o pecado da divisão, pode ser pregado o evangelho, mas em nada é manifestada a Glória de Deus. Como vimos anteriormente, a Glória de Deus é conhecida na unidade. Jesus nos ensina isto quando diz: "Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles" Mateus 18.20.

No coração do Pai, do Filho e do Espírito sempre existiram na eternidade esta Glória; agora o Senhor nos chama a conhecê-la. Sendo Eles unânimes, não poderia haver vários corpos, mas só um. Quando digo que sou de Paulo, ou mesmo de Cristo não estou vendo o Corpo. Israel tinha doze tribos, mas antes de atravessar o Rio Jordão, as tribos de Rúben e de Gade e meia tribo de Manassés pediram a Moisés a terra de Gileade que estava antes do Jordão. Moisés se indignou com aquela divisão, mas eles disseram: "Edificaremos currais aqui para o nosso gado, e cidades para as nossas crianças; porém nós nos armaremos, apressando-nos adiante dos de Israel, até que os levemos ao seu lugar; e ficarão as nossas crianças nas cidades fortes por causa dos moradores da terra. Não voltaremos para nossas casas, até que os filhos de Israel estejam de posse, cada um, da sua herança" Números 32.16-18.

Depois de atravessarem o Jordão, Deus disse a Josué: "Sucedeu que, acabando todo o povo de passar o Jordão, falou o SENHOR a Josué, dizendo: Tomai do povo doze homens, de cada tribo um homem; e mandai-lhes, dizendo: Tirai daqui, do meio do Jordão, do lugar onde estavam firmes os pés dos sacerdotes, doze pedras; e levai-as convosco à outra margem e depositai-as no alojamento em que haveis de passar esta noite" Josué 4.1-3. Que bendito ensino de Deus para nós! Ainda que as tribos estivessem divididas pelo Jordão, no coração dos filhos de Israel eles eram um só povo, porque assim via o Senhor.

Quando todo Israel entrou na terra, as duas tribos e meia voltaram para as suas famílias. Antes de atravessarem o Jordão, ainda na terra de Canaã levantaram um grande altar (Josué 22.10-17 - Leiam o texto). Israel soube disso e se indignou contra eles porque pensaram que estavam criando uma divisão entre o povo, e disseram: "Para que hoje deixais de seguir o SENHOR? Será que rebelando-vos hoje contra o SENHOR, amanhã ele se irará contra toda a congregação de Israel. Se é, porém, que a terra da vossa herança é imunda, passai-vos para a terra da possessão do SENHOR, onde habita o tabernáculo do SENHOR, e tomai possessão entre nós; mas não vos rebeleis contra o SENHOR, nem tampouco vos rebeleis contra nós, edificando-vos um altar, além do altar do SENHOR nosso Deus. Então responderam os filhos de Rúben, e os filhos de Gade, e a meia tribo de Manassés, e disseram aos cabeças dos milhares de Israel: O SENHOR Deus dos deuses, o SENHOR Deus dos deuses, ele o sabe, e Israel mesmo o saberá. Se foi por rebeldia, ou por transgressão contra o SENHOR, hoje não nos preserve; se nós edificamos um altar para nos desviarmos do SENHOR, ou para sobre ele oferecer holocausto e oferta de alimentos, ou sobre ele apresentar oferta pacífica, o SENHOR mesmo de nós o requeira. E, se antes o não fizemos por receio disto, dizendo: Amanhã vossos filhos virão a falar a nossos filhos, dizendo: Que tendes vós com o SENHOR Deus de Israel? Pois o SENHOR pôs o Jordão por termo entre nós e vós, ó filhos de Rúben, e filhos de Gade; não tendes parte no SENHOR; e assim bem poderiam vossos filhos fazer desistir a nossos filhos de temer ao SENHOR. Por isso dissemos: Preparemo-nos agora, e edifiquemos um altar, não para holocausto, nem para sacrifício, mas para que, entre nós e vós, e entre as nossas gerações depois de nós, nos seja em testemunho, para podermos fazer o serviço do SENHOR diante dele com os nossos holocaustos, e com os nossos sacrifícios, e com as nossas ofertas pacíficas; para que vossos filhos não digam amanhã a nossos filhos: Não tendes parte no SENHOR" Números 22.18-27.

O que esta passagem te ensina meu irmão? Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Faça veredas direitas para os vossos pés. Que a visão que Deus deu a esses filhos de Israel nos sirva de exemplo. Só não entraram aqueles que não creram, e isto é um aviso para nós: "Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes? E vemos que não puderam entrar por causa da sua incredulidade. Temamos, pois, que, porventura, deixada a promessa de entrar no seu repouso, pareça que algum de vós fica para trás. Porque também a nós foram pregadas as boas novas, como a eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram" Hebreus 3.17-18 e 4.1-2.

Mesmo no tempo em que Israel estava dividido, o profeta Elias levantou um altar a Deus unindo 12 pedras: "Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e restaurou o altar do SENHOR, que estava quebrado. E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual veio a palavra do SENHOR, dizendo: Israel será o teu nome. E com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente" I Reis 18.30-32. O pecado do homem e a transgressão do seu povo nunca ofuscará a Glória de Deus.

Para o Senhor a Glória desta Casa é muito maior do que aquela que foi construída por Salomão com ouro e pedras preciosas: "Quem há entre vós que tendo ficado, viu esta casa na sua primeira glória? E como a vedes agora? Não é esta como nada diante dos vossos olhos, comparada com aquela?... Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o SENHOR dos Exércitos. A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos" Ageu 2.3 e 8-9.

Não importa que tudo pareça estar destruído, pela fé devemos crer nesta unidade e restaurar o altar do Senhor. Nosso coração deve estar convicto na unidade, porque como naquele tempo, Deus também tem filhos fiéis que não dobraram seus joelhos à Baal: "E ele disse: Eu tenho sido em extremo zeloso pelo SENHOR Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei; e buscam a minha vida para ma tirarem... Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou" I Reis 19.14 e 18.

Baal era um deus fenício que representava as forças ativas da vida. Quais são as forças ativas da vida? São as forças do homem. Vemo-las claramente expostas na besta: "E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio" Apocalipse 13.2. Essa coisas que são consideradas riquezas humanas, também foram encontradas na igreja de Laodicéia e que o Senhor condenou: "Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas" Apocalipse 3.15-18.

Que o Senhor unja os nossos olhos com o seu colírio, e nos mostre a Sua Glória na face de Cristo. Que Ele nos dê em seu conhecimento a visão clara da Sua Igreja Gloriosa: "Não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações: Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação; tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos; e qual a sobreexcelente grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder, que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e pondo-o à sua direita nos céus. Acima de todo o principado, e poder, e potestade, e domínio, e de todo o nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro; e sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos" Efésios 1.16-23.

Está Cristo dividido? De maneira nenhuma. Se há alguma divisão ela está na falta de entendimento entre os filhos de Deus. O Senhor cuidará de despertar os corações para esta comunhão naqueles que não dobraram seus joelhos a Baal. Que a Sua multiforme sabedoria seja conhecida dos principados e potestades: "A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo, e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor, no qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele" Efésios 3.8-12.

Como Eliseu, esforcemo-nos por restaurar o altar em Nome do Senhor que está quebrado. Este é o nosso tempo,e cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. Fomos chamados para a comunhão de Seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor, portanto, andemos com temor durante o tempo de nossa peregrinação e sejamos fiéis: "Se perseveramos, com ele também reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo" II Timóteo 2.12-13. Amém.



Edward Burke Junior