13 de dez de 2014

TANGIBILIDADE DO ESPÍRITO SANTO


Por
Kenneth E. Hagin



     Existem vários versículos nas Escrituras em relação a tangibilidade do Espírito Santo.

     Mateus 14.35-36
     35. E, quando os homens daquele lugar o conheceram, mandaram por todas aquelas terras em redor, e trouxeram-lhe todos os que estavam enfermos.
     36. E rogavam-lhe que ao menos eles pudessem tocar a orla do seu vestido; e todos que a tocavam ficavam sãos.

     Atos 19.11-12
     11. E Deus, pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias.
     12. De sorte que até os lenços e aventais que levavam do seu corpo aos enfermos, e os espíritos malignos saiam.

     Marcos 5.25-34
     25. E certa mulher, que há doze anos tinha um fluxo de sangue,
     26. E que havia padecido muito com muitos médicos, e dispendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes indo a pior;
     27. Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou no seu vestido
     28. Porque dizia: Se tão somente tocar nos seus vestidos, sararei.
     29. E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal.
     30. E logo Jesus, conhecendo que a virtude (poder) de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão, e disse: Quem tocou nos meus vestidos?
     31. E disseram-lhe os seus discípulos: Vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou?
     32. E ele olhava em redor, para ver a que isto fizera.
     33. Então a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se, e prostrou-se diante dele, e disse-lhe toda a verdade.
     34. E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal.

     Quando Jesus apareceu numa visão e falou comigo em 1950, Ele me ensinou algumas coisas a respeito das leis e da operação do Espírito Santo que eu não conhecia antes. Eu vou transmiti-las para vocês. Desde então, eu lí o livro de sermões do Dr. Jonh G. Lake, “Domínio Sobre Demônios, Doenças e a Morte”, a mensagem “A Tangibilidade do Espírito”. Eu encontrei nesse livro muitas coisas que Jesus me havia falado a respeito da tangibilidade do Espírito Santo.


IMPOSIÇÃO DE MÃOS

     Jesus, no Seu ministério, usou muitos métodos de curar doentes. Lemos os Evangelhos e percebemos que isso é bem óbvio. Um método que Ele usou - e Ele usou alguns métodos mais do que outros, era a imposição de mãos. Nos versículos citados acima, encontramos que uma multidão, assim como um indivíduo, tocou as Suas vestes e recebeu a cura.

     Jesus impôs as mãos sobre os doentes em obediência a Lei do Contato e Transmissão. O contato das Suas mãos sobre os doentes permitiu que o Espírito de Deus nEle, fluísse para dentro das pessoas enfermas e efetuasse a cura em seus corpos.

     Quando a mulher doente no capítulo cinco de Marcos tocou as Suas vestes, ele verificou que o Espírito fluiu da Sua pessoa. Jesus disse: “Eu percebo que a virtude (poder) saiu de mim”. Essa é a tradução da versão inglesa do Rei Tiago. Todas as outras traduções dizem: “Eu percebo que poder saiu de mim”. A palavra grega no Novo Testamento Grego é a mesma palavra que é traduzida “poder” em Atos 1.8. A interpretação correta é então: “Eu percebo que poder saiu de mim”.

     Lucas 6.19
     19. E toda a multidão procurava tocar-lhe: porque saía dele virtude, e curava a todos.

     Aqui você tem a mesma palavra grega. Sabemos qual era o poder que saia dEle, porque Ele curava os enfermos pela unção do Espírito Santo. Ele nunca curou pessoa alguma até que Ele fosse ungido com o Espírito Santo após o Seu batismo no Rio Jordão.


NÃO É SUPERSTIÇÃO

     Paulo conhecia as leis a respeito da operação do Espírito de Deus. Em suas mãos ele segurou panos e lenços, e esses panos e lenços eram levados a pessoas enfermas e colocados sobre os seus corpos. As doenças sumiam e os espíritos malignos saiam delas. Modernistas e materialistas dizem que isso não passa de superstição. Não, é um fato bíblico – não é teoria, mas um FATO.

     O Espírito de Deus habitando no apóstolo Paulo, transformou aqueles panos e lenços em baterias do Espírito Santo e poder. Quando eles eram colocados sobre os corpos enfermos, eles carregavam o corpo de tal forma que a cura era o resultado.
     O segredo da cura é a tangibilidade do Espírito de Deus. Tangibilidade significa “capaz de ser tocado e perceptível ao toque”.

     O Dr. Lake disse: “É a coisa mais difícil do mundo para pessoas que não estão familiarizadas com o ministério de cura de compreender que o Espírito de Deus é tangível, atual, uma quantidade viva, tão real como a eletricidade, tão real como qualquer força nativa. Sim, e muito mais ainda. Ele é o princípio de vida que jaz através de todas as manifestações de vida por toda a parte”.


MILAGRE VERSOS CURA

     Cura é a renovação do corpo de alguma condição enferma. Esta é uma das razões porque ficamos confusos. Nós misturamos milagres com a cura. Eu estava muito preocupado com isto por causa de certas pessoas que eu não poderia aparentemente ajudar. Eu clamei e orei e busquei a Deus olhando para as pessoas que não receberam a cura em vez de olhar para as pessoas que foram curadas. Eu disse: “Eu vou deixar o ministério”.

     O Senhor disse para mim: “Que tal se um pregador adotasse essa atitude a respeito de pecadores que você tem a respeito dos enfermos? Existem sempre mais pecadores que não são salvos do que os que são. Como seria se cada pastor começasse a olhar para as pessoas que não recebem nada? Comece a olhar para as pessoas que são curadas, enchidas com o Espírito Santo e salva, e você ficará no lado que guarda a fé”.
     Todavia, eu fiquei preocupado com algumas pessoas que não receberam ajuda. Eu sabia que possuía tanta unção ao lidar com elas como com qualquer outra pessoa.

     A cura é a renovação de uma condição da doença, mas um milagre está dentro do campo criativo. Algumas pessoas necessitam de algo criado por elas. Poderá ser parte do seu corpo que jamais existiu. Isso é assim a respeito dos cegos ou daqueles que são mentalmente perturbados. Algumas pessoas podem nascer sem o polegar, uma mão ou outro membro. A mera cura não os ajudaria. Algo precisaria ser criado e colocado sobre o seu braço para que ele tivesse uma mão. A sua ajuda vem de uma obra criativa.

     Algumas pessoas foram operadas e algo foi tirado delas. Deverá haver uma restauração desses órgãos. Estou contente pelo fato de termos registro de algumas pessoas cujos órgãos foram retirados do corpo e que foram repostos.

     É claramente evidente ao estudante de cura divina que as vezes o Espírito de Deus é ministrado através de alguma pessoa ao grau em que ela é carregada com o Espírito assim como uma pessoa pode ser carregada com a eletricidade; todavia não há cura eventual operando naquele corpo até que algo aconteça para liberar a fé do indivíduo.

     Alguns anos passados a minha esposa estava desesperadamente enferma. Eu a levei a mais de 160 quilômetros para uma reunião de um homem bem conhecido, um evangelista de Des Moines, Iowa. A minha esposa entrou na fila de cura. Ela depois disse: “Quando ele impôs as mãos sobre mim, eu senti algo que jamais havia sentido antes. Uma espécie de raio de fogo atravessou o meu corpo e me sacudiu”. Todavia, ela não recebeu a cura.

     Ela voltou e ficou pior. Por que? O poder de Deus estava lá pelo qual o ministério do evangelista era ungido pelo Espírito de Deus; o Espírito de Deus foi ministrado a ela. Não era a culpa do evangelista que ela não foi curada. Ela foi poderosamente carregada com o poder do Espírito de Deus, todavia, nenhuma cura se realizou. A sua fé não havia sido liberada.


LIBERANDO A FÉ

     Mesmo que as pessoas possam estar poderosamente carregadas com o poder de Deus, a maior parte do tempo não há uma cura final até que algo aconteça que libere a fé do indivíduo. Vários meses mais tarde em casa, estávamos crendo e Deus me disse para lidar com a minha esposa e falar as palavras que fizeram com que a sua fé fosse liberada, e ela foi curada.

     Outra coisa que devemos perceber é que a cura não é sempre instantânea. No caso do filho do nobre, desde aquela hora ele começou a ficar bom. A cura é por etapas baseada em duas condições: Primeiro, o grau de virtude curadora ministrada; Segundo, o grau de fé que dá poder a pessoa sendo ministrada.

     “A palavra pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram” (Heb 4.2). O poder do Espírito Santo não vai lhe adiantar nada se não for misturado com fé. Entenda bem este fato. Você não receberá nenhuma cura de Deus se você não crer que haja alguma coisa para você. Você jamais fará com que a cura seja aplicada ao seu corpo, alma ou espírito para operar algum bem até que você tome posse dela inteligentemente e receba-a.

A CURA É CIENTÍFICA

     Cristo, em Seu ministério, nos revelou a lei do Espírito. O Dr. Lake disse: “Se pudéssemos fazer o mundo entender a vitalidade prenha do Espírito de Deus, o homem descobriria que a cura não é apenas uma questão de fé e graça, mas uma aplicação científica do Espírito de Deus à necessidade do homem”.

     O poder do Espírito de Deus é tão tangível quanto a cura. Você pode manuseá-lo, ministrá-lo a outros, recebê-lo de Deus através da fé e da oração e seu espírito ficará sobrecarregado com o mesmo.

     Paulo, escrevendo para a igreja na Galácia disse: “Aquele pois que vos dá (ministro) o Espírito...” (Gal 3.5). Paulo, sem dúvida, estava falando de si mesmo. Ele era aquele que ministrava o Espírito aquelas pessoas. Não há nenhuma dúvida de que ele fazia isso pela imposição de mãos. Foi assim que ele fez em Éfeso. Por que haveria ele de mudar? Como que ele fez isso? Pelas obras da lei ou pelo ouvir da fé? Pela fé.


UMA “MATERIALIDADE” CELESTIAL

     Jesus revelou e aplicou a lei do Espírito em Seu ministério. Ele demonstrou que o Espírito de Deus é uma substância tangível uma “materialidade” celestial.
     Quando você começa a falar a respeito da cura, do poder de Deus, e da manifestação do Espírito de Deus, as pessoas que são ignorantes da Palavra de Deus (até ministros) levantarão um caso contra você. Eles dirão que o Espírito Santo é uma pessoa ou personalidade. Isso é verdade. Cada um que está cheio do Espírito – e há milhões de cristãos cheios do Espírito no mundo hoje, possui uma presença habitando dentro dele. Mas porque a Bíblia diz que o Espírito Santo é uma pessoa, isso não significa que Ele possui um corpo. Ele não pode corporalmente entrar em pessoa alguma.

     Eliseu possuía uma unção diferente do Espírito de Deus. O seu corpo estava tão carregado com o Espírito que o contato com os seus ossos ressuscitou um homem que foi sepultado no túmulo de Eliseu. Só havia lá os ossos de Eliseu. O que causou o homem morto receber a vida novamente? O poder de Deus.

     Se ainda havia poder suficiente nos ossos de um profeta do Velho Testamento, um homem que não possuía o Espírito Santo habitando nele como temos hoje em dia através do batismo no Espírito Santo, para levantar um morto, o que poderia um homem que foi batizado no Espírito Santo fazer? Sem dúvida ele poderia impor as mãos sobre uma pessoa viva e aquela pessoa poderia ser curada. Certamente ele poderia impor as mãos sobre uma pessoa viva e essa pessoa receberia o Espírito Santo e falaria em outras línguas.
     Sim, o Espírito Santo é uma substância tangível – uma “materialidade” celestial.


O PODER PODE SER ARMAZENADO

     Além do mais, o poder do Espírito Santo pode ser armazenado na substância de um lenço (ou outro material), como foi demonstrado nas roupas de Jesus que as pessoas tocavam, ou nos lenços que Paulo manuseava (Atos 19.12). Os doentes e os lunáticos eram curados dessa maneira. Isso é bíblico.

     Eu imponho as mãos sobre os enfermos, e eu imponho as mãos sobre crentes para que eles recebam o Espírito Santo em virtude da visão que eu tive em 1950.
     Jesus Cristo apareceu a mim. Eu O vi tão claramente como vejo qualquer pessoa. Eu ouvi Jesus falando comigo na língua inglesa.
     Eu estava numa tenda na ocasião. Eu olhei para cima e lá onde o topo da tenda devia estar, Jesus estava lá em pé. Eu não vi a tenda. Eu só vi Jesus. Ele disse: “Suba aqui. Suba ao trono de Deus”.

     Pareceu para mim que eu fui ter com Ele, e continuamos subindo. Logo chegamos ao trono de Deus. Eu não vi Deus no trono. Numa visão você só vê aquilo que Deus lhe permite ver.
     A primeira coisa que atraiu a minha atenção foi o arco-íris ao redor do trono de Deus. A segunda coisa foi as criaturas aladas que estavam em pé ao redor do trono.

     Então virei para olhar para Aquele que estava assentado no trono, mas Jesus disse: “Você não pode olhar para Ele”. Me parecia haver um grosso véu entre eu e Aquele que estava assentado no trono. Eu podia perceber que Ele possuía uma figura ou corpo como um homem.

     Eu olhei para os olhos de Jesus. Parecia que eu estava preso na Sua presença. Eu disse: “Senhor, eu não sou digno de olhar para Ti”. a coisa mais notável sobre Jesus nesta visão eram os Seus olhos. Eles pareciam poços de amor vivo. Uma profundidade indescritível de amor!

     Eu caí aos pés de Jesus. Ele me disse: “Fique em pé, reto”. Então eu me levantei. Eu permaneci lá cerca de um metro de Jesus. Ele falou comigo e disse: “Eu te chamei e te separei desde o ventre de sua mãe. Satanás tentou destruir a sua vida antes que você nascesse e muitas vezes desde então. Os Meus anjos tem cuidado de ti”.


UM FURO EM CADA MÃO

     Ele então me contou coisas a respeito de meu ministério e disse: “Estenda a tua mão”. Eu não possuía evidência bíblica para isso mas sempre havia imaginado que haveriam cicatrizes onde foram colocados os pregos nas mãos de Jesus. Não há cicatrizes, mas os buracos ainda estão lá, um furo triangular em cada uma das Suas mãos!

     Depois eu procurei no Novo Testamento, e lí onde Tomé o incrédulo disse: “Se eu não ver o sinal dos cravos em Suas mãos e não meter o dedo no lugar dos cravos (não as cicatrizes), e não meter a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma  crerei” (João 20.25). Você não pode meter o dedo numa cicatriz. Você pode meter o dedo num buraco. Os buracos ainda estão lá!

     Eu estendi as mãos à minha frente como Ele me ordenara. Ao fazer isso Ele colocou o dedo da Sua mão direita e colocou-o na palma da minha mão direita e depois na palma da minha mão esquerda. As palmas das minhas mãos começaram a queimar como se eu tivesse brasas de fogo nelas. (Elas arderam assim durante três dias e noites. Elas doíam tanto que eu esfregava as mãos o tempo todo).

     Então Jesus disse: “Ajoelha-te”. Eu me ajoelhei aos Seus pés. Ele disse: “Eu te dei uma unção especial para orares pelos enfermos. Eu vou fazer algo especial por teu intermédio”.
     Um pastor e outras pessoas que estavam ao meu redor na tenda disseram que eu gritei em voz alta. Uma mulher disse: “Jamais ouvi um grito como esse, era de romper o coração”.

     Eu disse: “Senhor, eu não quero isso. Por favor, não envie a mim. Eu não desejo isso. Dê isso para outra pessoa”.
     Já outras pessoas me disseram: “Pareceu que você ficou contente”.

     Mas eu disse ao Senhor: “Dê isso para outro. Apenas me envie a uma pequena igreja no interior. Que eu fique perdido no meio do povo. Eu já ouvi muita gente criticar aqueles que possuem um ministério de cura. Eu não quero isso”.

RESPONDENDO A CHAMADA

     Depois que o Senhor falou comigo, eu disse: “Eu irei, Senhor. Vá comigo e me ajude. Eu direi ao povo exatamente o que Tu me disseste. Eu irei se Tu fores comigo”.

     Jesus disse: “Eu irei contigo. Muitas vezes me verás em pé ao teu lado, e as vezes eu abrirei os olhos (espirituais) de alguém na congregação, e eles me verão”.


     A medida que eu me afastei de Jesus, Ele disse: “Tenha a certeza de Me dar toda a glória e todo o louvor. Dê toda a glória ao Meu nome por tudo que for feito. Não recebas nenhuma honra ou glória para ti mesmo. Tome cuidado com o dinheiro, pois muitos dos que Eu tenho chamado para tal ministério se tornaram pessoas conscientes do dinheiro e perderam o ministério que Eu lhes havia dado. Muitas pessoas pagariam milhares de dólares para serem curados, mas você não cobrará coisa alguma pelo teu ministério”.