17 de ago de 2011

O QUE FAZER COM A ANSIEDADE?



Não andeis ansiosos de coisa alguma...
Filipenses 4.6
A preocupação é tão definidamente proibida como o roubo. 
Isto necessita ser cuidadosamente ponderado e percebido por nós, para que não a escusemos como sendo uma inocente “debilidade”. 
Quando mais estivermos convencidos da pecaminosidade da ansiedade, provavelmente mais rápido perceberemos que ela é muito desonrante a Deus, e “lutaremos contra” ela, Hb 12.4. Mas como devemos “ lutar contra ela?
Primeiro suplicando ao Espírito Santo que nos conceda uma profunda convicção de sua enormidade. Segundo,  fazendo dela um objeto de oração especial e fervorosa, para que possamos ser libertos deste mal. Terceiro, vigiando seu principio; e, tão logo detectemos o pensamento incrédulo, levantemos nosso coração a Deus e lhe peçamos a libertação disso.
O melhor antídoto para a ansiedade é a freqüente meditação sobre a bondade, o poder e a suficiência de Deus.
Quando o santo pode confiadamente perceber que “O Senhor é o Meu Pastor”, ele deve extrair a conclusão, “Nada me faltará”!  “Imediatamente após a nossa exortação lemos: porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças”. Nada é grande demais e nada é pequeno demais para ser apresentado e lançado diante do Senhor. O “com ações de graças” é muito importante, todavia, este é o ponto no qual a maioria falha. Ele significa que antes de recebermos a resposta de Deus, agradece-mos-lhe pela mesma: é a confiança do filho esperando seu pai ser gracioso.
Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?
  Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?
  Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?
  E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam.
  Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
  Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?
  Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?
  Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

Mateus 6.25-33

 Arthur W. Pink


Fonte: Revista MCMPOVOS
Ano 1  3ª Edição  Fev  2009